A piada é péssima e famosa entre estudantes de filosofia (ao menos na Universidade onde me formei): porque marxistas gostam tanto de psicanálise? Porque só Freud salva Marx. Então ninguém ri, então eu explico. Marx profetizou que da civilização burguesa a revolução proletária iria se concretizar. O motivo seria o fato de que o Capitalismo […]

Nesta segunda feira (17/09) passei por uma experiência bastante ruim. Enquanto ia a escola onde leciono, percebi uma confusão na praça da cidade em que moro (Campo Bom/RS) e percebi que um aluno meu havia tido o celular roubado. Persegui o rapaz que fez o roubo, primeiro de carro, em seguida a pé, o alcancei […]

Da Monarquia à República: momentos decisivos é uma obra de Emília Viotti da Costa, historiadora e ex-professora da Universidade de Yale. A obra em si é fruto de uma coletânea de estudos profundos sobre os momentos históricos capazes de trazer luz a uma questão bastante profunda de nosso país: como nos constituímos enquanto Brasil e […]

Quer saber? Cansei de lulistas, ciristas, manuelistas. Cansei na verdade da política partidária. Se aqueles que realmente podem fazer algo não estão dispostos a tal, se a militância se pega de faca entre si, sou eu que vou ficar gastando meu fígado com isso? Uma porra. Vou voltar pra filosofia pura e teórica que é […]

Creio que em 2018 todo mundo conheça o termo fetichismo da mercadoria, embora não por esta nomenclatura. Trata-se da ideia muito comum entre quem trabalha no setor de marketing, de que um produto não tem como preço final seu valor de construção, mas sim seu valor de uso. Um iPhone não custa o valor referente […]

Kant (Königsberg, 22 de abril de 1724 — Königsberg, 12 de fevereiro de 1804) é uma pedra. A filosofia tem desses filósofos que nos trancam o caminho e, ou nos entendemos com ele, ou não conseguimos entender nada do que vem depois. Kant é assim. Todo filósofo que vem depois dele precisa se posicionar com relação ao prussiano mais metódico de todos […]

Eu já expus isto aqui no Cinesofia. Em Origens do Totalitarismo, a filosofa judia Hannah Arendt faz um levantamento histórico e filosófico de dois movimentos sociopolíticos: o nazismo alemão e o stalinismo russo. Na página 59, ela nos diz que “o antissemitismo flamejou primeiro na Prússia, imediatamente após a derrota ante Napoleão em 1807, quando […]